04 março 2019

Cópias originais das mensagens atribuídas a Seungri são entregues a Comissão de Combate a Corrupção e Direitos Civis


Novos relatórios foram divulgados sobre as mensagens de texto ligadas a várias alegações sobre o Seungri do BIGBANG.

Em 4 de março, uma fonte da Agência Metropolitana de Polícia de Seul declarou inicialmente: “Ainda precisamos garantir uma cópia original das mensagens [KakaoTalk]. Estamos contatando pessoas [que estão ligadas às mensagens] para confirmar [a existência da cópia original].” A polícia continuou: “Não apenas não confirmamos sua existência, mas também recebemos um testemunho de que tais mensagens não não existem."

Em contraste com a declaração da polícia, a SBS funE relatou exclusivamente que a cópia original das mensagens de texto foi enviada para Comissão de Combate à Corrupção e aos Direitos Civis.

Segundo o relatório, a Comissão de Combate à Corrupção e Direitos Civis confirmou que, em 22 de fevereiro, um denunciante enviou mensagens de texto que continham evidências de que Seungri fazia lobby junto a investidores estrangeiros, ordenando serviços de acompanhantes sexuais. A SBS funE relatou que essas mensagens foram trocadas entre Seungri, CEO Yoo da Yuri Holdings e várias celebridades.

O SBS funE também entrevistou uma pessoa responsável por relatar as mensagens para a organização. A fonte revelou: "As mensagens do KakaoTalk sugeriam que havia uma conexão profunda com a polícia, então eu relatei isso à Comissão de Combate à Corrupção e aos Direitos Civis."

Em resposta, a Comissão de Combate à Corrupção e Direitos Civis declarou que eles irão inspecionar os materiais internamente antes de transferi-los à polícia ou à promotoria para uma investigação mais aprofundada. A comissão também considerará a entrega direta dos materiais à acusação se a conexão com a polícia for considerada mais profunda do que o esperado.

O relatório revelou ainda que o Departamento de Polícia de Seul tomou conhecimento da compra pela Comissão Anticorrupção e Direitos Civis da cópia original das mensagens de texto em 1 de março, e a polícia formalmente solicitou que a organização cooperasse com eles em 4 de março. 

A polícia compartilhou em uma nova declaração que as mensagens serão enviadas à polícia, dependendo da discussão interna da Comissão de Combate à Corrupção e Direitos Civis. Segundo a polícia, o denunciante apresentou os documentos ao escritório da comissão em Seul, e eles agora estão sendo transferidos para um escritório diferente em Sejong. A polícia comentou: “Visitamos o escritório da Comissão de Combate à Corrupção e Direitos Civis em Seul e fomos informados de que os materiais estão atualmente no correio [para o escritório de Sejong]”.

Fonte: (1)

ATUALIZAÇÃO (05/03)


0 comentários: