04 fevereiro 2019

Mulher que foi vítima do assédio sexual pelo Sr. Kim dá entrevista para a YTN

📆 2 de fevereiro de 2019

Em 02 de fevereiro, a YTN publicou uma entrevista com a Sra. A, a moça que aparece nas imagens das câmeras de segurança sendo assediada pelo Sr. Kim, homem que fez acusações de violência física contra o Burning Sun. A moça apresentou uma queixa formal contra a violência sofrida por ele em 21 de dezembro de 2018.


Tradução da entrevista


YTN: O que aconteceu naquele momento? 

Sra. A: O acidente aconteceu na noite de 23 de novembro para 24 de novembro, do ano passado. K estava me assediando e eu estava me sentindo desconfortável. Ele se aproximou de mim pedindo para tomar uma bebida junto comigo e vagueou continuamente ao meu redor. Ele tocou meu corpo; minhas nádegas e cintura (ela usa um termo que se refere a “pequenos golpes”, o que poderia significar tapinhas ou outras formas de toque). Ele se agachou atrás de mim e ficava olhando. Eu sai de perto dele, mas ele continuou me seguindo. Além disso, eu realmente não sei se Seungri estava no local quando isso aconteceu.

YTN: Sobre a contensão do Sr. K depois que você foi assediada. 

Sra. A: Sr. K tentou me assediar próximo ao palco, eu sai de lá e fui para outra área, mas ele também me seguiu até lá. Quando ele agarrou minha cintura e dois dos meus companheiros viram, imediatamente o fizeram parar.

YTN:  O diretor Jang, que estava no local, levou Sr. Kim para fora. Quais são seus pensamentos sobre as alegações do Sr. Kim?

Sra. A: Estou muito brava. Ele afirma que me salvou e foi arrastado por um segurança do clube, mas não consigo entender em que parte o Sr. Kim me ajudou e quando foi que eu pedi ajuda à ele. Suas alegações de que foi agredido ao tentar ajudar uma mulher são todas mentirosas. Ele está criando uma situação que nunca aconteceu.

YTN: Como ocorreu a sua ação judicial contra o Sr. Kim? 

Sra. A: Eu me senti péssima por ter sido assediada e estava com raiva. As falsas explicações dele nas comunidades online após o incidente me deixaram irritada. Depois de muito considerar a situação, eu iniciei uma ação contra ele em 21 de dezembro de 2018 na delegacia de Gangnam. Eu dei meu depoimento e em 24 de janeiro fui contatada pela polícia e me perguntaram sobre o incidente novamente. Eu ouvi que meus dois amigos que empurraram o Sr. Kim para parar o assédio também deram seus depoimentos como testemunhas. Eu também fui notificada que outra mulher entrou com uma ação judicial contra ele, mas eu não a conheço. 

YTN:  Há rumores de que você foi paga para entrar contra um processo contra ele. 

Sra. A: Esta é a parte que me sinto mais injustiçada. Naquele dia, tudo que eu fiz foi ir ao clube com meus amigos para me divertir usando meu próprio dinheiro. Eu não recebi nada do Burning Sun. Todos podem ter suas próprias razões para ir em clubes, mas eu fui para me divertir com meus amigos, ouvindo música e dançando. É absolutamente falso qualquer rumor de que eu tenha recebido dinheiro do Burning Sun ou que haja qualquer negociações entre nós. Sobre os rumores que cercam o clube sobre uso de drogas e estupros; eu conheço o Burning Sun por ser um dos clubes mais populares de Gangnam, eu sei que é um local que muitas pessoas visitam e eu também sou uma delas, e eu nunca ouvi sobre isso e nem associarem o clube a tais suspeitas. Em minha posição, eu não posso saber exatamente os fatos relacionados às suspeitas, pois eu nunca vi nada.

YTN: O que você gostaria de dizer como alguém envolvida neste incidente?

Sra. A: O Sr. Kim está prejudicando muitas pessoas. Ele enganou um país inteiro. Eu entrei com uma ação judicial contra ele porque queria resolver este incidente legalmente, mas quando ele ressurgiu, me senti muito magoada. Além disso, estou chateada com as mentiras e fiquei com uma cicatriz ainda maior. Se a polícia deseja uma reunião entre o Sr. Kim e eu para declararmos nossas reivindicações, eu estou disposta a fazê-la.


Atualmente, o Sr. Kim está sendo processado por duas mulheres. No entanto, nós não encontramos sob quais acusações ele está sendo processado pela outra mulher que a Sra. A cita durante a entrevista.


Estamos aguardando mais notícias sobre as investigações sobre o caso.

0 comentários: