04 fevereiro 2019

Exclusivo! Vídeo das câmeras de segurança do Burning Sun mostra Sr. Kim assediando uma mulher

📆 1 de fevereiro de 2019

As filmagens das câmeras de segurança do Burning Sun, dentro e fora da casa, mostram o momento em que a suposta vítima, Sr. Kim que disse ter sofrido agressão física no clube, é flagrado assediando uma mulher.

No vídeo, é possível ver outros homens dentro da casa o afastando da mulher e rapidamente uma comoção se inicia. Sr. Kim é levado para fora e a polícia é acionada. Quando a polícia chega ao local, Sr. Kim agride um dos policiais.



Esse vídeo foi postado no Facebook esclarecendo sobre o caso de agressão ao Sr. Kim, a cliente embriagada tailandesa e também inclui um 3º caso, de um stalker e ex-empregado da Burning Sun, que não foi falado antes.

O stalker é chamado de J e trabalhou no Burning Sun. Ele violentamente perseguiu uma colega de trabalho, a ameaçou e destruiu o carro dela.

Como ela não correspondeu, J se demitiu. Algum tempo depois ele falou com Sr. Kim pelo Kakao Talk e deu a ele as imagens falsas do CCTV da cliente feminina bêbada e contou a ele a falsa história de que ela foi drogada e arrastada. Ele parece fazer um acordo com o Sr. Kim, dizendo que K pode arruinar a Burning Sun com o vídeo. J está visivelmente irritado e ameaça Sr. Kim bem antes de enviar as seguintes mensagens:  “Entendo a situação. Por causa de você/contigo/através de você. Não apenas [ ]. Eu estou planejando arruinar todos vocês. Com o nome de Seungri. Não me ignore, hm?”. Mais tarde, em suas redes sociais Sr. Kim expôs o vídeo dizendo que a moça era uma vítima de violência sexual.


O vídeo fala sobre 3 casos. O caso de agressão; O caso da mulher embriagada; O caso do stalker que queria prejudicar Seungri e o Burning Sun. Mas não fala nada sobre os rumores de drogas ou de suborno policial. Nós estamos aguardando o final das investigações

Anteriormente, Sr. Kim  havia dado um depoimento em uma comunidade online, dizendo: “No dia 24 de novembro, no Burning Sun, uma mulher que estava sendo assediada sexualmente se agarrou no meu ombro e se escondeu atrás de mim. Pedi ajuda a um segurança, mas acabei sendo espancado por eles e outras pessoas”. Ele alegou que foi algemado e levado para a delegacia, onde foi agredido ainda mais pela polícia. Para sustentar as alegações, ele colocou uma foto do rosto sangrando e outra recebendo tratamento médico. Sr. Kim se recusou a participar das investigações da polícia após fazer a denúncia na televisão.

0 comentários: