14 março 2019

Franquia Aori Ramen corta laços com Seungri e Yuri Holdings


A antiga franquia de restaurante de ramen de Seungri cortou os laços com ele e a Yuri Holdings.

Em 14 de março, a empresa de Aori Ramen, Aori FNB, divulgou uma declaração via Instagram oficial. A declaração dizia:

Olá, esta é a empresa de Aori Ramen, Aori FNB.
Para todos os clientes e donos de lojas que mantiveram sua fé em Aori Ramen durante a recente série de eventos, gostaríamos de primeiro pedir desculpas por causar preocupação.
Nosso escritório central está se reorganizando depois que Lee Seung Hyun (Seungri) deixou o cargo de CEO devido a seu futuro alistamento militar. Para garantir a estabilidade dos negócios de nossas lojas franqueadas, contratamos um novo especialista em gestão e em 7 de março realizamos uma reunião de planejamento com os donos das lojas e lhes oferecemos uma compensação. Dependendo da situação, pretendemos oferecer uma compensação adicional aos donos das lojas mais tarde.
A fim de proteger a marca de nossas lojas franqueadas e Aori Ramen, decidimos cortar todos os laços com Seungri e Yuri Holdings e fazer um novo começo. No momento, estamos discutindo a transferência de direitos de gerenciamento para um novo parceiro que tenha conhecimento sobre o setor de alimentos e bebidas e possa fornecer uma boa liderança para nossas lojas de franquia.
As 43 franquias da Aori Ramen não são todas de propriedade dos conhecidos e da família do nosso ex-CEO. Para minimizar os danos às outras lojas, decidimos fechar as lojas que têm uma conexão com ele.
Por causa das notícias extremas, as lojas que trabalharam duro e não têm conexão com as notícias estão sofrendo danos. A sede da Aori Ramen fará o possível para minimizar os danos causados ​​àqueles que são donos de lojas inocentes e franqueados.
Pedimos mais uma vez a compreensão de todos os clientes que amaram Aori Ramen e continuaremos a trabalhar para melhorar nosso gosto e qualidade.

Em 14 de março, Seungri foi à delegacia de polícia para sua segunda rodada de questionamentos na investigação sobre se ele violou a lei sobre a punição da mediação da prostituição.

Fonte: (1)

0 comentários: