26 agosto 2019

Yang Hyun-suk e Seungri comparecerão a polícia essa semana devido as acusações de jogos de azar.


Yang Hyun-suk, 50 anos, ex-chefe da YG Entertainment e ex-membro do grupo Big Bang Seungri, 29 anos, suspeito de jogar no exterior e arrecadar fundos com métodos "recorrentes", aparecerão na polícia nesta semana.  

Espera-se que a equipe de investigação de crimes da inteligência da Agência Metropolitana de Polícia de Seul questione Seungri e Yang, que foram acusados ​​de violar a lei sobre jogos de azar habituais e transações de câmbio, em 28 e 29 de agosto, respectivamente.

Fonte

21 agosto 2019

[ENTREVISTA] Seungri, "Incidente da Burning Sun", primeira entrevista em 120 dias.


Reportada por Yoon Su-jung para a Chosun Ilbo

No coração do "Escândalo da Burning Sun", está Lee Seung-hyun (29, com o nome artístico de Seungri), um ex-membro do grupo BIGBANG. Lee investiu no clube Burning Sun em Yeoksam-dong, na parte Sul de Seul, e também foi encarregado pelas relações públicas. Atualmente Lee está sob investigação pelas acusações de arranjar prostituição para investidores estrangeiros e por relatar um investimento anterior na "Monkey Museum" como um restaurante geral.

Encontrando no escritório do advogado no Sul de Seul no dia 22 de março, Lee disse "que sentia muito e estava envergonhado de si mesmo". E mais, "Que foi errado ter se envolvido com um negócio tão errado e inapropriado (Burning Sun), sendo uma figura pública", disse ele.

Lee disse,"Não importa o que eu diga agora, ninguém irá acreditar, e se eu sair sem culpa na investigação policial, as pessoas irão jurar de que eu dei dinheiro à polícia". Ele também disse, "Eu não estou em uma posição onde posso erroneamente argumentar pela minha posição, mas quero explicar porque os fatos que sei e o caso da Burning Sun estão se afastando demais".

- Por que você veio para a entrevista?

"Para ser honesto, eu acho que não estou em posição para reclamar de injustiça ou afirmar fortemente a minha posição. De qualquer forma, como uma figura pública, eu agi de maneira inapropriada e fui envolvido em um negócio errado. Mas eu só pensei que os relatos estavam indo longe demais do que eu sei. Através dessa entrevista, eu pensei que dizendo a vocês o que eu sei, iria com certeza ajudar a digerir (ou extinguir) a situação".

- O termo "negócio errado" é para a Burning Sun?
"Isso mesmo".

- Você é conhecido por ser o dono da Burning Sun.
"Isso é porque eu enfatizei no programa 'I Live Alone" da MBC dizendo, 'Estou diretamente encarregado em dirigir todos os meus negócios'. De fato, há muitos clubes em (Seul) Gangnam, e a Burning Sun queria atrair alguns turistas estrangeiros e um público jovem. O hotel (investidor do clube, Le Meridien) assim como o clube (Burning Sun), pensaram a mesma coisa. “É verdade que eu promovi com meu nome (Seungri) ligado a isso, ‘é o que eu faço’, como mencionei (no programa), eu acho que é onde fui confundido como o verdadeiro dono”.

"Um dos meus amigos, Lee Moon-ho, que primeiro se tornou o vice-presidente da Burning Sun sugeriu, 'O que você acha dessa (boa) sugestão? ', Lee Moon-ho disse que recebeu uma proposta para os negócios do clube, do hotel (Le Meridien). Foi dito que enquanto estavam remodelando o hotel de Ritz Carlton para o Le Meridien, o hotel ofereceu os negócios de clube para Lee Moon-ho e outros funcionários do clube para atrair clientes jovens. Para ser honesto, eu gosto de tocar como DJ e gostei de visitar o clube, então eu achei que não seria ruim. Lembro-me de pensar que seria um problema dirigir um clube em hotel".

Lee disse, “Sabemos que a empresa de energia (o operador do Le Meridien Hotel) detém 42% das ações, o co-presidente do hotel, Lee Seong-hyun 8%, Yuri Holdings 20%, um investidor taiwanês conhecido como 'Lin Shamo' com 20%, e Lee Moon-ho com 10%. Foi dito também que os ativos tangíveis, como os interiores são de propriedade da empresa de energia". Ele acrescentou, "Todos os envolvidos com a Burning Sun, independentemente de suas posições, estavam errados, e como uma figura pública, eu não deveria ter me envolvido com uma série de empreendimentos de entretenimento onde tinham tantos incidentes. Pelo menos, deveríamos ter verificado diretamente e checado minuciosamente o clube".

- O CEO Yoo In-seok, ex-parceiro de negócio também participou.

"Estou ocupado com os negócios de entretenimento (como um cantor), então ele foi e cuidou disso (para mim). Yuri Holding é 40% minha, 40% do CEO Yoo e 20% por (outro) Sr. Lee. Eu tenho um negócio no entretenimento e um restaurante, Yoo ficou encarregado dos investimentos e finanças, e o Lee atua como CFO (CEO de finanças). Yoo inicialmente se opôs (a investir na Burning Sun). Eu estava ansioso que meus negócios estivessem mais no entretenimento. Mas ainda assim, eu insisti de que queria fazer isso. No fim, eu sinto muito porque parece ter envolvido o Sr.Yoo ".

- Como você conheceu Lee Moon-ho?

Quando eu fui ao Club Arena há cinco anos, fui apresentado à ele. Lee Moon-ho era um MD (funcionário de vendas), que liderava um grupo chamado Pulse. Muitos funcionários de vendas e clientes do Arena diziam que acreditavam em Lee e o seguiam. Porque eu conheço bem os clubes de Gangnam, eu sugeri tentar isso com ele quando eu abri o lounge bar nomeado de Monkey Museum (2016). “Isso não deu certo (entre nós) e Lee Moon-ho sugeriu o Burning Sun”.

- Lee Moon-ho, que trabalhou no Club Arena, fez toda a estrutura do Burning Sun baseado no Arena?

"Isso mesmo. Meu amigo (Lee Moon-ho) fez tudo, desde contratar os funcionários da Burning Sun, designer, vendas, e conceito".

- Isso significa que você investiu, mas não se envolveu com a administração do clube?

“Dentre os projetos que eu investi (com o Yuri Holdings), eu na verdade, montei um negócio de ramen, mas a Burning Sun é um negócio de vida noturna (entretenimento), então não era fácil para eu realmente cuidar disso”. Burning Sun tinha por volta de 300 funcionários. Dois representantes, Lee Sung-hyun e Lee Moon-ho, que era responsável pela administração interna, contabilidade e de todos os funcionários. Eu nunca participei de uma reunião para a Burning Sun, nem mesmo recebi uma lista dos funcionários ou fiz uma medição salarial direta. Eu realmente era só o rosto. Eles apenas emprestaram o meu nome e eu investi um capital de 10 milhões de won através da Yuri Holdings. Honestamente, os executivos do clube e a administração se sentiam desconfortáveis com a minha participação. 'Seungri pode promover isso, faça uma publicação nas redes sociais, volte e seja o DJ'. Para Seungri, "tinha esse tipo de atmosfera".

- Menores estavam bebendo na Burning Sun e foram pegos pela polícia, também foi revelado que o clube havia dado dinheiro à um ex-policial. Havia um viciado em drogas no clube. O CEO Lee Moon-ho e uma funcionária chinesa encarregada das operações do clube tiveram testes positivos para as drogas. Você sabia disso tudo?

“Eu nunca fui informado pessoalmente sobre o que acontecia ou os incidentes na Burning Sun”. Eu tardiamente escutei rumores de conhecidos meus. O número da entrada dos menores também foi reportado em Julho do ano passado (2018). Por volta do final de Novembro, um conhecido escutou a história, 'Há algum dinheiro que um Sr. Lee que está envolvido com um corretor da polícia (Kang) que não foi pago. (Essa pessoa) está tentando enrolar o Sr. Kang, Burning Sun e Seungri, e liberar isso'. Ele escutou de um jornalista e me disse. Então perguntei ao Lee Moon-ho, ele disse que era só conversa e que “não há nenhum problema”.

- Então, (através de) Lee Moon-ho é o único jeito de confirmarmos sobre a (situação) Burning Sun?

"Sempre que eu perguntava, 'Moon-ho, o que é isso? ', ele me respondia, 'Seungri, está tudo bem', 'Espere', 'Estou cuidando disso'. Ainda assim todas as flechas estão apontando para mim. Eu nunca recebi um dividendo em meu investimento de capital, exceto pela minha tarefa ocasional de DJ por cinco milhões de won mensais. O salário foi oferecido somente depois de seis meses em que o clube estava operando. A real contabilidade e a administração (da Burning Sun) estavam sendo administradas pelo Lee Moon-hoo e o Lee Sung-hyun".

- O caso de agressão na Burning Sun (um caso de Novembro do ano passado no qual Kim Sang-kyo alegou ter sido agredido pelo funcionário do clube e reportou à polícia, mas foi dirigido como um agressor), você saiu como um diretor da companhia assim que tudo veio à tona.

"Isso foi no época em que eu estava me liberando de meus negócios para o alistamento militar, para ser honesto, eu não pude me pronunciar porque eu não sabia de nada (sobre isso). Eu acho que a resposta inicial está muito errada. Eu perguntei ao Lee Moon-ho e ele disse, 'Não se preocupe. São agressões bidirecionais. E desde então, houve uma série de vídeos (de incidentes), assim como a da droga mulberry e os assédios sexuais que continuaram saindo. Até mesmo eu estava confuso sobre o que era verdade".

- E as drogas no clube?

"Eu escutei rumores sobre isso e perguntei diversas vezes ao Lee Moon-ho. Eu não tinha ideia. (Durante a investigação da polícia) fiquei surpreso de que ele foi testado positivo. Eu apenas passava (no clube) ume vez por semana para ser DJ. Eu nunca conduzi o campo de operações ou via como os clientes se divertiam, então eu não tinha ideia do que a administração estava fazendo."

- Uma fotografia sua com uma funcionária chinesa chamada ‘Anna’, da qual descobriram que estava encarregada das drogas foi divulgada.

“Deve haver mais de 300 fotos tiradas de mim (com os clientes) no clube. Mesmo se eu não quisesse que fossem tiradas ou as tirasse sem entusiasmo, seria xingado por isso. Eu sempre tentei ser cortês. Eu tendo estado um pouco assustado desde então porque fui ligado à Anna dessa maneira”.


- Burning Sun é suspeita de evasão fiscal.


“Se a Burning Sun for confirmada por evasão fiscal, eu também sou uma vítima como acionista. Eu não sabia de nada sobre isso, e eu apenas os promovi”.

- Você também é suspeito de levar mulheres para entretenimento sexual e portar drogas enquanto proporcionava festas de aniversário exuberantes em países estrangeiros.

“É verdade que eu tenho viajado muito com as minhas amigas. Eu gosto da cultura de festas e eu gosto de sair para curtir com homens e mulheres. Até mesmo na minha festa de aniversário, eu disse para as minhas noonas e dongsaengs ‘vamos sair’. Contudo, todas elas estão sob suspeitas assim que as alegações de prostituição surgiram. Honestamente, eu me arrependo e eu não deveria ter agido dessa forma. Eu tenho medo de que toda a vida da qual vivi esteja sob suspeita agora.”

- Você também realizou o teste de drogas recentemente.

“Foi confirmado negativo. No final de 2016, alguém notificou a Procuradoria do Distrito de Suwon dizendo que me viu usando drogas no Club Arena. Eu peguei o mandado do escritório da Procuradoria distrital e realizei o teste de drogas na minha casa. Eu enviei mais de 100 amostras de cabelo, incluindo aquelas tiradas do meu couro cabeludo, axilas, pelos púbicos e perna, e também, todos os testes de urina voltaram negativos”.


- Quando as conversas vazadas do celular do cantor Jung Joon-young no Kakao Talk foram reveladas, primeiramente ele declarou que era uma ‘fabricação’.


“Isso aconteceu no ano de 2015. Eu não lembro quais eram os tipos de mensagens que eles enviavam há três anos. Eu realmente não consigo me lembrar. Eu não pude acreditar. Eu disse coisas como essas? Não havia nenhuma marcação de cada mensagem, e nenhum conteúdo antes ou depois. Eu definitivamente achei que havia possibilidade de manipulação”.


- Você foi investigado como um suspeito de prostituição. Olhando as conversas do KakaoTalk das quais foram reveladas, foi mencionado que foi a maneira de preparar para a recepção dos investidores estrangeiros no clube Arena, com o objetivo de dar espaço para “alguém se dar bem”.


“Eu percebi isso quando enviei as mensagens, eu estava em uma festa de aniversário com a minha equipe depois de uma performance no Japão. Francamente, eu não acredito porquê enviei uma mensagem como ‘alguém se dar bem’ e eu estou realmente muito envergonhado. Essa estrangeira se chama ‘Kimmy’, uma mulher de Singapura. Ela é filha do dono de um clube de futebol estrangeiro famoso, não uma investidora estrangeira. Kimmy, que estava no mesmo chat que eu me disse, ‘Estou na Coreia e eu quero ir no Arena em silêncio. Sr. Kim disse, “Nós tivemos muita ajuda da Kimmy, então vamos cuidar bem dela”.


- Duas mulheres realmente foram chamadas. O Sr.Yoon que estava no chat foi mencionado dizendo ‘Estou preparando para uma prostituta’.


“Uma das pessoas que foi chamada era uma ex-namorada de um dos participantes do chat, de sobrenome Park. Eu apenas queria que alguém acompanhasse Kimmy. As mulheres foram convocadas pela polícia, e elas disseram que não eram prostitutas”.

- Um canal reportou sobre uma conversa de 2014, da qual você diz algo à um homem de negócios, Sr. Kim. É uma conversa sobre numerar garotas das dizendo que valiam dez milhões de won cada.

“Naquela época, investi uma grande quantidade de dois bilhões de won com Kim e não fui capaz de receber isso de volta. Eu precisava estar em bons termos com ele. Kim disse, ‘Estou indo me encontrar com o rei da Indonésia, e por ele gostar de pessoas brancas e magras, há alguém que (você possa recomendar) para me acompanhar? Seria bom se fosse uma aspirante à atriz ou cantora. Não estou interessado em ter uma namorada ou dormir com elas, eu só quero alguém para comer comigo e me acompanhar enquanto estiver fazendo negócios’, que é o que a mensagem de texto dizia. Ele ainda me ligou e disse, ‘Se eu der a elas uma pequena quantia*, deveria ser pelo menos dez milhões de won, não acha? ’, então eu respondi, ‘Dez milhões de won? Uau, entendo’, então eu até mesmo perguntei para alguns dos meus amigos. E então, Kim entrou em contato novamente dizendo, ‘Em relação à mulher para ir comigo, eu irei cuidar disso’. E é como isso se encerrou”.

“Eu investi dois bilhões de won com Kim, mas isso não foi reposto como prometido. Em 2015, eu processei Kim por não receber o dinheiro. E então ele me ameaçou, dizendo que deixaria a imprensa saber disso. Eu retirei a acusação porque a minha imagem poderia ser comprometida”.

- Você reconheceu as alegações de que você abriu a boate Monkey Museum como um restaurante geral, mas administrou isso como um bar noturno. No processo, acusações de evasões de impostos também foram levantadas. Também foi controverso sobre quando foi mencionado na conversa do Kakao Talk onde diz “Eu ** amo as leis coreanas”.

“Mesmo nos negócios vizinhos, alguns deles estão registrados como estúdios de fotografia. Não teria um problema conosco, certo? A conversa era dessa forma. Não estávamos completamente cientes. Mais tarde, me disseram que eu estaria em problemas se gerenciasse dessa forma, então eu chequei escritório do distrito. Eles disseram, ‘Se você tiver sorte, não será pego, e se você for azarado, será pego’. Então eu verifiquei as regulamentações novamente e até mesmo mudei o interior. Contudo, na noite de abertura, eu queria instalar uma luz forte, pela qual eu fui pego em uma repressão. Até mesmo na investigação policial eu disse, “Eu achei que poderia fazer isso porque todos os lounges em Cheongdam operam dessa forma. Eles (as outras lojas) têm funcionado dessa forma por três a quatro anos sem uma repressão. Todos fizeram isso, então eu só os copiei sem saber de nada. Há também a conversa sobre evasão fiscal, mas (na verdade), o Monkey Museum tinha um enorme déficit. Eu só fiz três meses de lucro, mas eu nunca recebi um dividendo, ao invés disso era tudo utilizado para comprar álcool. Dessa maneira, o déficit subiu para trinta milhões de won mensais. “O déficit subiu para cinquenta milhões de won antes do fechamento”.

- Como você conheceu o Superintendente Sênior Yoon, que foi mencionado como o “chefe da polícia” que cuidou do clube no chat do Kakao Talk?

“Eu não o conheço bem, mas em 2017 Mr. Yoo In-Seok disse que ele tinha um bom hyung que ele queria que encontrássemos juntos. Quando eu perguntei quem era, Mr. Yoo disse, ‘Alguém que trabalha para a Cheong Wa Dae (Casa Azul)’. Comemos em restaurante BBQ em um hotel em Gangbuk (ao norte do Rio Han). Depois daquilo, nos encontramos de novo 4 vezes até o último inverno.”


- Sobre o que vocês conversavam?


“Nós nunca conversamos sobre a Boate. Na maioria das vezes, o chede da polícia Yoon falava sobre História. Desde a II Guerra Mundial, Ghenghis Khan, Rothschild, etc. Eu nem sabia que ele era um policial porque ele era um funcionário trabalhando no escritório presidencial (Cheong Wa Dae). Foi o CEO Yoo e Choi Jonghoon que jogaram golfe com ele, não eu. (Também) eu não conheço o homem de negócios que apresentou o CEO Yoo ao Superintendente Sênior Yoon.”


- Você também não sabia que o Superintendente Sênior Yoon verificou a investigação no Monkey Museum?


“Olhando as coisas com senso (comum), mesmo que eu conhecesse o chefe da polícia, ele teria verificado? Sobre o que eu ouvi, ele não tentou resolver as coisas para nós e ouvindo as circunstâncias durante a investigação, ele disse ao CEO Yoo ‘vocês não podem operar dessa forma’, apontando nosso erro. Quando ouvimos isso, corrigimos, e mesmo assim fomos pegos na repressão e pagamos uma multa, mas nunca pedimos por uma punição mais branda. Mesmo se eu disser isso agora, ninguém vai acreditar.”

- E sobre conversas de negócios?

“Nenhuma. Nossas conversas eram quase sempre sobre História. Yoon não conhecia o BIGBANG, mas ele disse que ouviu as músicas do bigbang depois de me conhecer. Não houve tal coisa como solicitações (favores). Mesmo quando o CEO Yoo tentava pagar (pelas suas refeições), ele (Yoon) levantava a voz e dizia que ele entraria em grande apuros e eventualmente pagava

- Você disse em um chat, “Nem pense em prevenir isso com o dinheiro do CEO Yoo”, em relação à cobertura de beber e dirigir do Choi Jonghoon.

“Naquela época, Jonghoon ligou para o CEO Yoo depois de ter sido pego bebendo e dirigindo. Yoo me ligou e contou sobre a situação. Ambos CEO Yoo e eu acabamos dizendo, ‘acabou se houve um teste com bafômetro, porque os dados são reportados. Mas ouvi que o manager do Choi Jonghoon pediu à polícia que ele fosse investigado no início da manhã quando não tivessem repórteres por perto. Por isso que não houve notícias sobre isso, e ele pensou que foi porque o CEO Yoo havia cuidado da situação. Eu estava me exibindo quando eu disse: "Você teve dificuldades, então seja bom. Muito dinheiro foi gasto também”.

- A foto em que você estava com um uniforme de polícia causou problemas.

“Eu aluguei de uma loja de fantasias chamada Gagsital. Quando você entra na página inicial do site deles, você pode ver que a empresa vende e aluga uniformes policiais e roupas de bombeiros. A razão pela qual eu usei o uniforme é porque eu vi o filme Windstruck’. da atriz Jun Jihyun. ‘No filme, Jun Jihyun e Jang Hyuk aparecem usando uniformes. Depois de ver o filme, eu realmente queria experimentar. Então eu aluguei para o Halloween. Mas tudo o que fiz foi usar isso e jantar. Na época, eu estava sob suspeita de dirigir sob a influência do álcool. Foi logo depois  de eu ter sido liberado do hospital, em que fiquei por 3 meses após um acidente de carro. Eu postei a foto um mês depois de ter saído do hospital e as pessoas pensaram que eu me envolvi em um acidente porque eu estava dirigindo embriagado. Depois que eu postei a foto vestido no uniforme da polícia, houve protestos. Então eu deletei imediatamente. Se você for à loja, eles até vendem e alugam brasões.

- Você está dizendo que se sente vitimizado pelos acontecimentos do momento?

“O povo coreano está muito zangado comigo. Eu afirmei em transmissões de programas no passado, ‘Eu não apenas empresto meu nome, ao contrário dos outros artistas. Faço negócios diretamente. ’ Mas quando o incidente do Burning Sun aconteceu, ficou parecendo que eu estava me escondendo e pensei em como as pessoas que confiavam em mim e me apoiavam ficaram decepcionadas. Se a confiança entra em colapso e muitas pessoas se sentem traídas, então a raiva se concentra em mim. Mas se os resultados da investigação forem divulgados e as acusações contra mim não puderem ser provadas, então como eu devo viver a partir de então? Mesmo que eu seja livre de todas as acusações, eles vão chamar isso de conluio com a polícia e que isso foi resolvido por pessoas poderosas. No final, eu terei de viver minha vida inteira como uma pessoa (cheia) de suspeitas. É claro, no caso de Jung Joon Young, há evidências claras de que um crime foi cometido. Mas devido às minhas conversas privadas, minha imagem está manchada, eu me pergunto como devo viver a partir de agora. Eu devo pedir perdão e fazer uma autorreflexão por causa das mensagens de texto que eu enviei e recebi. Mesmo que fossem conversas pessoais (privadas).

Enquanto eu estava sendo investigado, às vezes eu até me perguntava, ‘Eu realmente sou alguém que precisa ser investigado pesadamente?’. A intensidade da investigação é muito forte agora. Os detetives são muito sensíveis aos relatórios públicos e da mídia. “Mesmo os detetives investigam com a premissa de que o que a mídia relata são certezas”.


- Eles (os detetives) te perguntam sobre os relatórios da mídia?


“Eles perguntam sobre tudo isso. Quando falo dos conteúdos que tenho conhecimento, os fatos são sempre questionados e verificados. Sendo assim, eu pensei será que a investigação pode ser conduzida de forma imparcial? Você entende o que eu estou falando?

- Por exemplo?

“A história é estranha agora. Vamos dizer que eu disse a verdade e fui inocentado de todas as acusações por drogas, prostituição e conluio policial. Então, eu serei criticado por conluio policial. A polícia será criticada por incompetência. Se o conluio da polícia se revelar verdadeiro, a polícia será acusada de corrupção. Nem a agência de investigação nem as que estão sob investigação podem permanecer objetivas. Se você prestar atenção nos relatórios da mídia após a investigação, tudo o que eu disse a alguém sai nos artigos. Então, durante a próxima investigação (questionamento) eu nem sei por onde começar. Quando eu tento falar, penso comigo mesmo ‘isso é algo que não deve sair nas notícias’. É uma situação frustrante”.

- Há críticas sobre por que você apenas ficou/não agiu quando o cantor Jung Joon Young postou vídeos ilegais na sala de bate-papo do Kakao Talk.

“Os conteúdos da sala de bate-papo do Kakao Talk não são tudo sobre a minha vida. Por que eu não o parei? Quando eu o encontrei pessoalmente, eu tentei impedi-lo, dizendo, ‘Não faça coisas assim, você vai ficar ter grandes problemas’”.

 - Até para Jung Joon Yong?

“Não apenas para Jung Joon Young, mas para todo mundo. Só não foram coisas escritas nos chats do Kakao Talk. Mesmo neste caso, as autoridades investigativas e o público se concentraram apenas no conteúdo das salas de bate-papo e tiraram suas próprias conclusões. E se eu tivesse feito uma ligação com as pessoas da sala de bate-papo? E também não sabem o que eu posso ter dito pessoalmente, certo? As conversas sobre o Monkey Museum também são conversas que aconteceram 3 meses antes de abrirmos. Antes de abrir, eu estava ciente e disse: ‘Nós não podemos fazer isso (em relação a coisas ilegais)’. É só que a situação não está no chat do Kakao Talk.

- O que você gostaria de dizer?

“Meu único desejo é que a investigação seja conduzida e os resultados sigam objetivamente. Devido a todas as questões e eventos que foram reunidos esses dias, YG, Choi Soon-sil, BIGBANG, Kim Hak-ui, Hwang Gyo-an, e outros foram agrupados e vistos como uma organização. Eu sou apenas uma mera celebridade. Eu não os conheço. O incidente explodiu pois está ligado a muitos estabelecimentos de entretenimento. Mas eu fiquei com muito medo de vê-los associando isso à política e enquadrando-os como algo completamente diferente. É confuso. Para ser honesto, eu não sei o que é falso. Estou sinceramente cooperando com a investigação. Então, eu apreciaria muito se o povo coreano pudesse acalmar sua raiva e me julgar objetivamente até os resultados da investigação saírem. Eu sinto muitíssimo pelos os fãs e as pessoas que me apoiaram e me deram amor torceram por mim por cerca de 10 anos, minha ex-agência YG, e à minha equipe e colegas. Eu acredito que quaisquer resultados que saiam da investigação, eu terei que viver com isso para o resto da minha vida. Eu vou viver minha vida com remorso. Sinto muito e me envergonho de mim mesmo porque minhas palavras e ações há alguns anos criaram uma situação tão grande. Espero que todas as verdades sobre as suspeitas sejam reveladas rapidamente para que o povo coreano não sinta mais desconforto.

Tradução kor/ing: GottaTalk2V1212
Tradução ing/pt: BIGBANG EVERYTHING

27 julho 2019

10 grandes equívocos sobre o caso de Seungri

À medida que o fim da investigação se aproxima, há muitos equívocos sobre Lee Seungri ainda circulando, que precisam ser esclarecidos para que se possa enxergar todo o quadro. Ele nunca foi acusado de estupro, agressão sexual e nem compartilhava molka (vídeos escondidos).

Esse artigo é não é de nossa autoria



1. Lee Seungri nunca foi acusado de estupro, assédio em qualquer outro tipo de agressão sexual. Tal coisa nunca foi mencionada no tribunal, relatórios policiais e até mesmo pela imprensa. Lee é considerado "um estuprador" apenas em mídias sociais não-coreanas devido à desinformação. Ao contrário dele, pessoas como Jung Joon-Young e Kim Sang Kyo foram provadas culpadas, e isso é provavelmente o que causou a confusão. Lee não tem vítimas e ninguém o acusou de assédio.


2. Ele não fazia parte do chat do molka (vídeos escondidos). A confusão aqui, diferente das acusações de violação não existentes, é compreensível. Houve 23 conversas em grupo investigadas, a maioria das quais relacionadas a negócios. As capturas de tela lançadas pela SBS eram apenas "reencenações" e não eram consideradas provas. Seungri admitiu compartilhar pornografia em um chat de negócios que causou ainda mais confusão para as pessoas que não seguiram o caso de perto. (Veja # 8 para mais informações)


3. Seungri nunca admitiu usar serviços de prostituição apesar da crença popular causada por notícias falsas. O canal A divulgou a história de Lee confessando que recebeu serviços sexuais, mas logo foi desmentido por seus advogados. Na verdade, foi Yoo Inseok quem admitiu ter chamado prostitutas para o seu quarto. As únicas alegações que Seungri admitiu são o envio de pornografia para um grupo de negócios e a violação do ato de saneamento de alimentos (registrando o clube "Monkey Museum" como um restaurante).


4. Seungri não era o dono do "Burning Sun", ele era o rosto do clube. Ele não estava envolvido com a administração e mal tinha informações sobre como o clube era administrado, já que ele possuía 40% dos 20% da Yuri Holdings nas ações.


5. A história sobre garotas adolescentes sendo estupradas e mortas "com seus úteros arrancados" para filmes na Burning Sun foi tirada de um livro fictício sobre a vida noturna de Gangnam, escrito em 2009, muito antes de o clube existir. Esta teoria foi amplamente difundida por vídeos do YouTube e jovens usuários do Twitter, mas é mais uma mentira.
Fonte - 


6. Não há provas consistentes, embora isso seja o que a maioria do público pensa. Muitas testemunhas, incluindo as mulheres acusadas de prestar serviços sexuais, defenderam Lee no tribunal, insistindo que ninguém jamais foi pago por favores sexuais. A maioria dos convidados da festa comparecia com suas famílias e outras pessoas importantes, e Lee pagara pelos ingressos de todos os seus convidados. O fato de que todos os que compareceram, não apenas as mulheres, tiveram seu vôo e hotel organizado por Seungri é uma grande falha na teoria fornecida pela polícia. As imagens publicadas pelo jornalista Kang foram provadas temperadas, assim como as mensagens foram apagadas, os horários foram alterados e todo o tom das conversas, fora do contexto, foi alterado. A falta de provas e todas contra-provas que Lee levou aos tribunais deixaram a polícia de mãos vazias.
Fonte - Fonte - Fonte - Fonte


7. Seungri nunca negou o acesso ao seu telefone e realizou 4 testes de drogas, todos negativos. Má tradução ou intenções ainda piores despertaram a ideia de que Lee nunca entregou seu telefone à polícia. Ironicamente, ao mesmo tempo, as mídias coreanas divulgaram um vídeo dele saindo da delegacia, respondendo alto e claro aos repórteres que "Sim. Sim, o entreguei".


8. Seungri nunca compartilhou molka, mas ele compartilhou pornografia. Lee admitiu compartilhar uma foto consensual inapropriada, enviada a ele por um amigo. Embora pareça inofensivo, a pornografia é ilegal na Coréia e ele provavelmente será multado.


9. Uma Equipe Anticorrupção está trabalhando no caso, certificando-se de que ninguém está sendo subornado ou forçado a fazer nada. Devido a isso, a equipe de investigação foi alterada duas vezes sempre que o menor indício de corrupção foi detectado.


10. Seungri afirmou ter visto apenas um vídeo de 20 segundos que Jung Joon-Young lhe mostrou. Segundo ele, surgiu um conflito entre eles. JJY supostamente prometeu que isso ocorreu apenas uma vez e ele nunca faria isso novamente. Em sua declaração oficial, Seungri confessou que se arrepende de acreditar nele.


Post original em inglês por miag, traduzido por Seungri Brasil.

15 abril 2019

Kim Sang-kyo, que abriu a tampa para o "Burning Sun Gate", irá comparecer a polícia no dia 19 de Março.


Kim Sang-kyo (29), que abriu as cortinas para o "Burning Sun Gate" irá comparecer a delegacia na terça-feira (19 de março). No mesmo dia, a MD do Burning Sun Anna irá também ser chamada novamente.

De acordo com o advogado de Kim, a equipe de investigação da Agencia de Polícia Metropolitana de Seul irá convocar Kim como réu na manhã de 19 de Março. "Kim irá comparecer a Agencia de Policia Metropolitana de Seul e irá falar sobre sua posição e impressões"

Kim levantou as suspeitas de conluio entre o Burning Sun e a polícia, dizendo que ele foi atacado pelos funcionários do clube enquanto visitava o Burning Sun, um clube no sul de Seul, onde Seungri estava envolvido como um diretor no dia 24 de novembro de 2018. A agressão foi relatada tardiamene em Janeiro e a tampa de uma gigante caixa de Pandora chamada Burning Sun começou a se abrir.

No mesmo dia, a MD do clube - conhecida como Anna, irá está presente na polícia pela segunda vez, sob a suspeita de uso e distribuição de drogas no Burning Sun. A polícia convocou Anna como uma suspeita em 16 de fevereiro e a mandou para o Instituto Nacional de Investigação Científica no dia seguinte após procurarem em sua área residencial e encontrarem um líquido desconhecido e um pó branco. Eles também coletaram a urina de Anna e exemplares de cabelo, e os pediram para serem avaliados mas não divulgou os resultados.

Fonte: (1)

O "Chefe de Polícia" era conhecido de Seungri. Policia acelera as investigações...


A polícia está acelerando suas investigações sobre o escândalo de "Burning Sun" já que existe um policial mencionado em um bate-papo do Kakao Talk que inclui o membro do Bigbang Seung-ri (29, Lee Seung-hyun) e o cantor Jung Joon-young (30) , disseram que estavam próximos um do outro. 

De acordo com a polícia em 16 de março, o atual chefe de polícia, Yoon, que foi chamado de "chefe de polícia" na sala de bate-papo, disse em uma investigação policial que ele tinha um relacionamento com Yoo, o chefe da Yuri Holdings. apareceu na sala de chat. 

A Yuri Holdings é uma empresa de investimentos criada por Lee Seung-ri e Yoo como co-presidentes em 2016. No início deste ano, Yoo tornou-se o único CEO quando Seung Ri renunciou ao cargo (nota: demissão devido à política de alistamento). 

O chefe de polícia Yoon reconheceu sua amizade com Yoo e fez declarações sobre eles jogando golfe e jantando fora", disse a equipe de investigação da Agência de Polícia Metropolitana de Seul. "Ele negou alegações de solicitação." No mesmo dia, a Agência Nacional de Polícia emitiu uma ordem de espera para Yoon ao chefe do escritório principal e nomeado um sucessor.

A equipe de investigação metropolitana da Agência de Polícia Metropolitana de Seul está analisando o conteúdo de dois telefones celulares enviados por Yoon. O tempo e número de contatos que ele fez com o CEO Yoo também está sob investigação. A equipe de investigação também obterá detalhes das contas financeiras e consolidadas (vinculadas) de Yoon para ver se há algum aspecto suspeito (transações) entre elas. 

Mais cedo, a polícia garantiu o conteúdo da sala de bate-papo, que incluiu Seungri e Jung Joon-young, e confirmou que houve conversas entre eles que poderiam causar suspeita de conluio de policiais de alto escalão. 

Segundo a polícia, um membro da sala de bate-papo do Kakao Talk postou uma mensagem em julho de 2016 dizendo: "O chefe de polícia diz para não se preocupar com a foto tirada dentro de nossa loja". O "chefe de polícia" é uma posição que não pertence à organização policial, mas a polícia assegurou uma declaração da investigação dos suspeitos de que a pessoa era um oficial de nível geral, confirmando que a pessoa era o policial Yoon. 

Yoon supostamente serviu como chefe da divisão de segurança e vida na Delegacia de Polícia de Gangnam em 2015. Ele foi promovido ao posto de secretário geral em 2016 e foi enviado para Cheong Wa Dae no ano seguinte e trabalhou como secretário presidencial para assuntos civis. 


Fonte: (1)