15 abril 2019

Kim Sang-kyo, que abriu a tampa para o "Burning Sun Gate", irá comparecer a polícia no dia 19 de Março.


Kim Sang-kyo (29), que abriu as cortinas para o "Burning Sun Gate" irá comparecer a delegacia na terça-feira (19 de março). No mesmo dia, a MD do Burning Sun Anna irá também ser chamada novamente.

De acordo com o advogado de Kim, a equipe de investigação da Agencia de Polícia Metropolitana de Seul irá convocar Kim como réu na manhã de 19 de Março. "Kim irá comparecer a Agencia de Policia Metropolitana de Seul e irá falar sobre sua posição e impressões"

Kim levantou as suspeitas de conluio entre o Burning Sun e a polícia, dizendo que ele foi atacado pelos funcionários do clube enquanto visitava o Burning Sun, um clube no sul de Seul, onde Seungri estava envolvido como um diretor no dia 24 de novembro de 2018. A agressão foi relatada tardiamene em Janeiro e a tampa de uma gigante caixa de Pandora chamada Burning Sun começou a se abrir.

No mesmo dia, a MD do clube - conhecida como Anna, irá está presente na polícia pela segunda vez, sob a suspeita de uso e distribuição de drogas no Burning Sun. A polícia convocou Anna como uma suspeita em 16 de fevereiro e a mandou para o Instituto Nacional de Investigação Científica no dia seguinte após procurarem em sua área residencial e encontrarem um líquido desconhecido e um pó branco. Eles também coletaram a urina de Anna e exemplares de cabelo, e os pediram para serem avaliados mas não divulgou os resultados.

Fonte: (1)

O "Chefe de Polícia" era conhecido de Seungri. Policia acelera as investigações...


A polícia está acelerando suas investigações sobre o escândalo de "Burning Sun" já que existe um policial mencionado em um bate-papo do Kakao Talk que inclui o membro do Bigbang Seung-ri (29, Lee Seung-hyun) e o cantor Jung Joon-young (30) , disseram que estavam próximos um do outro. 

De acordo com a polícia em 16 de março, o atual chefe de polícia, Yoon, que foi chamado de "chefe de polícia" na sala de bate-papo, disse em uma investigação policial que ele tinha um relacionamento com Yoo, o chefe da Yuri Holdings. apareceu na sala de chat. 

A Yuri Holdings é uma empresa de investimentos criada por Lee Seung-ri e Yoo como co-presidentes em 2016. No início deste ano, Yoo tornou-se o único CEO quando Seung Ri renunciou ao cargo (nota: demissão devido à política de alistamento). 

O chefe de polícia Yoon reconheceu sua amizade com Yoo e fez declarações sobre eles jogando golfe e jantando fora", disse a equipe de investigação da Agência de Polícia Metropolitana de Seul. "Ele negou alegações de solicitação." No mesmo dia, a Agência Nacional de Polícia emitiu uma ordem de espera para Yoon ao chefe do escritório principal e nomeado um sucessor.

A equipe de investigação metropolitana da Agência de Polícia Metropolitana de Seul está analisando o conteúdo de dois telefones celulares enviados por Yoon. O tempo e número de contatos que ele fez com o CEO Yoo também está sob investigação. A equipe de investigação também obterá detalhes das contas financeiras e consolidadas (vinculadas) de Yoon para ver se há algum aspecto suspeito (transações) entre elas. 

Mais cedo, a polícia garantiu o conteúdo da sala de bate-papo, que incluiu Seungri e Jung Joon-young, e confirmou que houve conversas entre eles que poderiam causar suspeita de conluio de policiais de alto escalão. 

Segundo a polícia, um membro da sala de bate-papo do Kakao Talk postou uma mensagem em julho de 2016 dizendo: "O chefe de polícia diz para não se preocupar com a foto tirada dentro de nossa loja". O "chefe de polícia" é uma posição que não pertence à organização policial, mas a polícia assegurou uma declaração da investigação dos suspeitos de que a pessoa era um oficial de nível geral, confirmando que a pessoa era o policial Yoon. 

Yoon supostamente serviu como chefe da divisão de segurança e vida na Delegacia de Polícia de Gangnam em 2015. Ele foi promovido ao posto de secretário geral em 2016 e foi enviado para Cheong Wa Dae no ano seguinte e trabalhou como secretário presidencial para assuntos civis. 


Fonte: (1)

16 março 2019

Seungri irá submeter seu pedido de alistamento no dia 18 de março.


Seungri (Lee Seunghyun, 29), que está sendo suspeito de solicitar favores sexuais para investidores estrangeiros está planejando submeter documentos para adiar seu alistamento no dia 18 de março.

"Nós iremos submeter os documentos dia 18", disse Son Byung Ho, o advogado que representa Seungri, em uma entrevista or telefone para o Newsis no dia 15.

"Eu espero que Seungri consiga a permissão para adiar seu alistamento", Son disse. "Ele se sente pressionado pelo jeito (circunstância) em que está se alistando no exército."

"Eu acho que é melhor ser sincero e verdadeiro na investigação até o fim", o advogado Son adiciona.

"Eu sai depois de 16 horas de investigação que virou a noite na Agencia de Polícia Metropolitana de Seul", Seungri disse ao sair do interrogatório. "Eu planejo aplicar um requerimento formal para adiar meu alistamento para Administração de Recursos Humanos Militares."

"Se me derem permissão, eu irei adiar a data do meu alistamento e mostrar a vocês como eu quero cooperar sinceramente com a investigação até o final", ele continuou.

Entretando, a Administração Regional de Recursos Humanos Militares, que está sob a jurisdição do governo local municipal, não recebeu documentos para o adiamento do alistamento de Seungri até 18:00 quando os requerimentos para serviços civis estavam encerrados.

A Administração Regional de Recursos Humanos Militares (MMA) disse que irá considerar adiar o alistamento ou não assim que Seungri submeter os documentos. Em particular, o foco esperado é se as razões que Seungri apresentar serão justificaveis [para o adiamento]. Geralmente demora pelo menos 2 dias para o processamento dos documentos para o deferimento.

"O motivo é importante", disse um oficial da Administração Regional de Recursos Humanos Militares. "Nós gostaríamos de lidar com isso logo".

Sob a lei do serviço militar atual, uma pessoa que fica fora do país ou reside fora do país são razões examinadas para adiamento do serviço militar e também sob prisão ou penalização devido a crime.



No caso do Seungri, se ele for preso por um crime ou setenciado a alguma punição, a polícia pode aplicar um mandado de prisão para Seungri em qualquer acusação e emitir o mandado para o tribunal.

Contudo, a maioria dos respondentes disseram que parece ser difícil para Seungri ser preso já que faltam apenas 10 dias para o seu alistamento.

Entretando, pelo Artigo 129 do Decreto de Execução do Ato de Serviço Militar (também conhecido como o adiamento do Ato de Serviço Militar), diz que "pessoas que não podem cumprirem seu serviço militar por razões válidas são permitidas para adiamento do serviço militar". O representante do Seungri está aplicando o requerimento amparado nessa base.

Dos dois lados, dentro e fora do exército, eles dizem que se Seungri se juntar ao exército (agora), é bem provável que ele não terá uma vida militar normal durante investigação, e o exército e os procuradores militares em questão são esperados para causar um monte de problemas.

Se o adiamento do alistamento do Seungri não for aceito e ele ficar sem detenção, o caso relacionado [a ele] serão transferidos da polícia para a polícia do exército, e a agencia de investigação militar irá conduzir e se juntar a investigação com a polícia.

"Houve casos que a aplicação para o adiamento da data da entrada no exército por razões de está sob investigação", um oficial da Administração Regional de Recursos Humanos Militares disse. "Se eles aplicarem para o adiamento, nós iremos considerar as razões legalmente e com cuidado."

Fonte: (1)

Yoo In-seok, ex-CEO da Yuri Holdings, parece ser a figura central dos bate-papos Kakaotalk



Yoo In-seok, ex-CEO da Yuri Holdings, é conhecido por estar perto de um policial. Yoo fundou a Yuri Holdings com o cantor Seungri em 2016 e também é marido da atriz Park Han-byeol. Na verdade, ele era o “homem chave” (figura central) dos membros do grupo, incluindo Seungri e Jung Joon-young.

De acordo com as conversas reveladas pela investigação policial, descobriu-se que Yoo serviu como solucionador de problemas para vários casos envolvendo membros em diferentes situações. 

Uma entrevista com Yoo foi divulgada no SBS 8 News no ar no dia 15.


Yoo disse: "Estou me preparando para o XX. Estou me preparando para o XX. Quando os dois XX chegarem, cuide deles para que OO possa guiá-los até o quarto do hotel. E a OO pode cuidar deles para que o XX não se envolva com outras pessoas ”. Ele adicionou um menino ao XX. Foi detectado que ele deu várias instruções, como "Eu não sei falar inglês".

Quando ele estava se preparando para a festa de Natal, Yoo desempenhou o papel de um maestro, incluindo "Estamos fazendo um ótimo filme de Gatsby", "Quando cantamos todas as mulheres que conhecíamos naquele dia, não havia nenhuma mulher no clube".

Sabe-se também que ele desempenhou um papel como elo entre as celebridades e a polícia como Choi Jong-hoon, antigo membro da FT Island, como dizem os rumores de que ele teria dirigido embriagado em 2016.

Em uma entrevista à SBS, Yoo negou a mensagem, dizendo que a conversa foi exagerada pelo desejo de seus jovens amigos de se exibir e que isso nunca foi verdade.

No entanto, foi relatado que ele contatou um oficial de nível geral da Agência da Polícia Metropolitana de Seul como suspeito na equipe de investigação metropolitana na quinta-feira à tarde. Se a direção embriagada de Choi Jong Hoon for comprovada, o escândalo entre as celebridades e a polícia deve aumentar.

Yoo In-seok é o marido da atriz Park Han-byeol, que continua sua carreira no drama, independentemente da controvérsia. É para a posição existente da "vida privada de um marido comum".

Park interpreta Yoon-Marie, a personagem principal do drama de fim de semana da MBC "I Love You When I Feel Sad" (Song Jung-rim, diretor Choi Yi-sup), e atualmente está trabalhando em seu calendário de filmagens.

De acordo com a agência de Park, Yoo In-seok, o marido de Park, não é um artista, então a agência não tem condições de entregar o comportamento de Yoo.

Fonte: (1)

"O Chat Sexual", polícia convoca Jung Joon Young e Kim (funcionário da Burning Sun) por distribuírem vídeos de sexo ilegais, 6 telefones apreendidos e mandados de prisão pendentes.


A polícia está investigando as alegações do cantor Jung Joon-young (31) e começou a procurar evidências adicionais na tarde de ontem. A polícia planeja solicitar um mandado de prisão para Jung.

A equipe de investigação metropolitana da Agência da Polícia Metropolitana de Seul enviou três investigadores para a residência de Jung Joon Young e Kim, funcionário da Burning Sun, das 14h às 17h no dia 15 para executar um mandado de busca.

A polícia convocou Jung Joon Young, Kim e Yoo, ex-presidente da Yuri Holdings Co., sob a acusação de violar a Lei Especial sobre Punição à Violência Sexual, e os mandou de volta na manhã seguinte.

A polícia recebeu um total de seis telefones celulares; um de Seungri, três de Jung, um de Kim e um de Yoo, o ex-CEO da Yuri Holdings. No entanto, a polícia invadiu os celulares que eles haviam substituído recentemente, acreditando que eles poderiam estar mantendo os telefones que haviam usado.

Embora recebessem um celular, queriam ver se havia outro.



Jung é suspeito de distribuir vídeos de sexo que ele supostamente filmou ilegalmente em uma sala de bate-papo em grupo com Seungri. Kim também está sob investigação policial por compartilhar videoclipes ilegais com a sala de bate-papo.

Não é a primeira vez que há uma filmagem ilegal de vídeo de sexo de Jung. Em agosto de 2016, a ex-namorada de Jung entrou com uma ação contra ele na Delegacia de Polícia de Seongdong, em Seul, alegando que ele secretamente filmou parte de seu corpo sem consentimento durante o sexo. Naquela época, Jung não enviou o telefone para a polícia, dizendo que ele havia confiado a recuperação a uma empresa de recuperação de telefones celulares e, depois de ser enviado à promotoria, ele foi acusado de enviar o telefone errado.

Naquela época, a controvérsia sobre a investigação policial foi levantada, e a conexão entre a polícia e a polícia foi detectada, então a controvérsia provavelmente não será resolvida facilmente.



A polícia disse: "Jung Joon Young filmou ilegalmente o vídeo sem o consentimento da outra parte", acrescentando: "Pretendemos solicitar um mandado de prisão considerando a gravidade do crime sexual e a gravidade do problema". Outra suspeita foi levantada que Yoo, um ex-CEO da Yuri Holdings, estava envolvido na solicitação de Jung para vender sexo.

Enquanto isso, a polícia registrou Choi Jong Hoon, 30 anos, ex-cantor da FT Island, sob a mesma acusação, depois de saber que ele distribuiu videoclipes ilegais em uma sala de bate-papo em grupo.

Fonte: (1)